Hide Button

Índice das ofertas dos ministérios de Sammy Tippit nas seguintes línguas:

English  |  中文  |  فارسی(Farsi)  |  हिन्दी(Hindi)

Português  |  ਪੰਜਾਬੀ(Punjabi)  |  Român

Русский  |  Español  |  தமிழ்(Tamil)  |  اردو(Urdu)

devotions
Moisés e Josué – Aconselhando Novos Líderes

Cada geração precisa ter um toque novo dos céus. A unção e o profundo trabalhar de Deus não podem ser passados de uma geração para outra como se fosse uma herança de família. É claro que podemos deixar uma herança maravilhosa e um bom exemplo para os nossos filhos, mas eles precisam traçar seu próprio caminho até o reino de Deus. Eles precisam lutar as suas próprias batalhas. Deus tem muitos filhos, mas não tem um neto se quer. Ele tem muitos generais em seu exército, mas sem grandes generais. O homem sábio ou mulher sábia de Deus entendem que o reino de Deus é maior do que si mesmo e que vai durar mais tempo do que eles vão viver.

Moisés foi grandemente usado por Deus. Ele foi o “maior profeta a se levantar em todo Israel.” Mas ele sabia que a obra de Deus permaneceria por muito mais tempo do que ele. Com essa certeza, ele manteve seus olhos abertos em busca de um jovem que tivesse seu coração voltado para Deus, que fosse capaz de liderar o povo de Israel. Ele encontrou esse homem em Josué.

Moisés disse a Josué: “Escolha alguns de nossos homens e vá lutar contra os Amalequitas. Amanhã estarei no alto do monte com a cajado de Deus em minha mão. Então Josué lutou contra os Amalequitas como Moisés havia lhe ordenado, e Moisés, Arão e Ur foram até o topo do monte. Enquanto Moisés estendia seus braços, os Israelitas ganhavam, mas quando ele abaixava seus braços, os Amalequitas ganhavam. Quando os braços de Moisés se cansaram, eles pegaram uma pedra e a colocaram por debaixo dele para que pudesse sentar. Arão e Ur seguraram os braços de Moisés – um de um lado e o outro do outro – para que seus braços pudessem permacer firmes até o por do sol. Então Josué venceu o exército dos Amalequitas com a espada” (Êxodo 17:9-13 NVI).

È interessante ver como Moisés enviou o jovem Josué à batalha. Embora Moisés tenha permitido que Josué inicialmente lutasse na batalha, ele nunca esteve longe. Josué esteve sempre à sua vista, o apontando para a Fonte da vitória. Moisés sabiamente permitiu que Josué lutasse e vencesse a batalha, mas ele deu instruções para assegurar a vitória final.

Encontramos um padrão que começa a surgir no relacionamento entre Moisés e Josué. Primeiro Moisés faz a obra de Deus. Depois Moisés permite que Josué faça a obra de Deus enquanto ele está por perto. Fundamentalmente, Josué faria a obra de Deus quando Moisés já não fosse mais. Este é o padrão de Deus para levantar uma nova geração de líderes. Primeiro nós fazemos a obra. Depois eles fazem a obra conosco. Finalmente eles fazem a obra.

No entanto, Moisés fez mais do que ser mentor de Josué na obra de Deus. Ele discipulou Josué na caminhada dele com Deus. A bíblia diz: “O SENHOR disse a Moisés: ‘Venha até a mim na montanha e fique aqui, e eu lhe darei as tábuas de pedra, com a lei e os mandamentos que eu escrevi para a instrução do meu povo. ’ Então Moisés saiu com seu ajudante Josué e subiu a montanha de Deus” (Êxodo 24:12, 13 NVI). Quando Moisés teve esse maravilhoso encontro com Deus, Josué não estava muito longe.

Quando Moisés se encontra com Deus na “tenda da congregação” e a presença de Deus é tão poderosa, Josué estava na tenda com ele. Até quando Moisés saiu da tenda, Josué ficou por perto. Ele não queria sair da presença do Senhor. Moisés monitorava Josué na obra de Deus, mas mais importante Moisés monitorava Josué na sua profunda e íntima caminhada com Deus.

É fácil treinar homens e mulheres a fazer as obras exteriores ou aparentes de Deus, mas é outra coisa treiná-los a andar humildemente com Deus. Mas Moisés entendeu que a obra de Deus era uma obra espiritual e que levaria homens profundamente espirituais para realizá-la. Moisés conduziu os filhos de Israel na saída do Êgito, mas Josué os conduziria até a terra prometida. Porque Moisés esteve presente na vida de Josué, a obra que ele realizou não parou com sua morte. Uma nova geração estava preparada para pegar o bastão e continuar a corrida.

Se formor sábios, não só faremos a obra de Deus, mas ajudaremos as próximas gerações a conhecer, amar e andar com Ele.